terça-feira, 13 de abril de 2010

"que isso seja mesmo verdade"

Mesmo que ainda não me tenhas dito, eu sei que dez anos depois deste maravilhoso que me estendes todos os dias, hei-de estar mesmo lá longe contigo; no entretanto, deixei de te chatear por causa das rastas e pedi-te que me ensinasses a fazê-las, larguei o tribunal e mandei o meu canudo de alta magistratura pela janela para me fazer recepcionista da tua oficina patrocinada pela Discovery e dobrada em inglês às terças e quintas às quatro da manhã. Além disso, havemos de ter uma casa grande com filhos bonitos e cães a passearem-se pelos longos nevados que nos circundam, quase afogados no calor da minha boca quando se aproxima da tua – e isto ainda não te tinha dito eu; até se não for no Canadá há-de ser em qualquer lado, um ‘lado nenhum’, um ‘lá de mim’ que recriamos com o pai do Sam nos entardeceres destes dias ainda leves de idade mas cheios do mais de mim que tenho conseguido.

2 comentários:

Constança Perez disse...

eu sei que isso vai acontecer, quando lá tiveres lembra-te de mim *

João disse...

E como isso não hás-de precisar de mais nada.

*

Enviar um comentário

Mimos*