quinta-feira, 7 de julho de 2011

Acho que este restabelecimento da ordem natural das coisas está a correr bem. Eu gosto de ti desde aquele dia em que descobri que era um alargador de facto, mas ver-te dormir ao meu lado é... petrificante.

Ontem quando fechei os olhos não queria adormecer, era só o meu corpo a render-se de algum-muito desgaste acumulado. Mas estavas lá, entre a minha pálpebra a fechar-se e a minha alma aberta para ti e por ti. Magoa-me que toda gente se surpreenda por nos ver dançar em estilo apaixonado, porque não havemos de ser nós o início e o fim um do outro?

Termos saltado tantas etapas à frente fez-me tremer de medo; olhar para aquele poço gigante e saber que a única alternativa seria atirar-me e de olhos fechados levou-me a querer desistir, muitas vezes. Estive muitas horas em claro, quando o sono não vinha e o desgaste não era o de ontem, enquanto pensava na raiva que sentia por saber que estarias ao lado de alguém… alguém. Eu também tenho os meus alguém’s, que talvez também ainda me amem como eu já não os amo. Não te vás embora, eu sou tão pequenina e tive tanto medo. Agora começo a não ter medo mas sim vontade de construir. Tu também a tens?

2 comentários:

Anónimo disse...

certamente q tem, eu sei :)
ass. Dália (agr n consigo comentar sem ser assim -.-')

S. disse...

este blog é excelente. és original e isso reflecte-se nos teus textos*

Enviar um comentário

Mimos*